Avançar para o conteúdo principal

Vamos ser do contra?

Bons dias caros leitores.

Agora que não tenho nada para fazer na vida (como se fosse verdade... o que não é!) aproveitei para reflectir um bocadinho sobre a condição de critico nacional. Não há nada mais fácil que criticar, isso é um ponto assente, mas saber criticar também tem arte. É toda aquela trama que re vai desenrolando a cada palavra que é regurgitada por aquela pessoa que não gosta de fazer nenhum, nem gosta que os outros façam.

Ora, vamos começar pelos políticos...

Os políticos apresentam uma capacidade inata para criticar os outros políticos. São uma espécie especial que sabe precisamente o que o povinho quer ouvir e o que a oposição não. Assim, toca de meter um ferro em brasa nas feridas que muitas das vezes foram eles que fizeram quando estiveram no poleiro. Politico é assim, caga no passeio e acusa o próximo, que lá vai arrear o calhau, da merda que o passeio tem! São uns mestres!

Temos os críticos literários...

Eles escrevem muito e bem mas não escrevem merda nenhuma. No fundo, acabam por passar a vida a criticar a escrita dos outros sem olhar para a sua própria escrita. Já se dizia à muito tempo: Casa de ferreiro, espeto de pau! E a verdade é mesmo essa... tirando alguns notáveis críticos que eventualmente conseguem um posto numa rádio nacional, como a antena 1, pelo mérito da sua escrita (criticam é verdade mas trabalham para criticar), a maioria tem é dor de corno por não ter a capacidade de escrever algo criativo. "Ah, este livro é uma merda...". Então enfiem-no no cu!

Os críticos desportivos...

São basicamente o treinador de bancada que aparece na televisão. Não percebem um cu de táctica, técnica, capacidade dos jogadores mas passam a vida a opinar as decisões de pessoas, que passam 90 minutos de grande stress e uma vida só stressante como o caraças. Acham que os atletas são cartas de Magic the Gathering e que se virarem alguns terrenos conseguem ter mana suficiente para meter um buff no Miguel Veloso ou no Suazo. São tão bons que a grande parte não conseguiu seguir um emprego na àrea onde trabalharam... só conseguem fazer mesmo isto, criticar. Parabéns para eles.

E os críticos generalistas...

Como eu, que no fundo sou mais um que nada tem para fazer. Mas ao menos critico os que nada fazem e ao faze-lo, exerço trabalho! Portanto... vão buscar!!! Sim... sou um da classe, mas também crio como podem verificar pela fritaria que corre este blog. Eu sou assim!

Cumprimentos,

Shuri Kata

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Ide e Multiplicai-vos!

Boas tardes caros leitores, leitoras, vislumbradores e afins deste blog.

Como podem reparar, convidei o Richard para apresentar alguns dos seus disparates neste blog. Depois de uma colocação inapropriada do texto "Strange Life of John" no TheLittleBox, decidi propor-lhe um lugar para poder disparatar livremente, mas com censura. Hehe. Espero que ele esteja à altura de merecer a presença neste meu pequeno espaço.

Não hesitem de comentar as nossas postagens. Creio que ambos temos muito para aprender.

Com os melhores cumprimentos,

Shuri Kata

Melgas

As melgas são um bicho parvo, malazado a voar, aproveitador e claramente sobredotados para o que não devem... Deviam, portanto, claramente falecer! Lamento a quebra de opções alimentares dos achigãs, mas vocês não têm de se encher de repelentes!

WTF? - Definição de politicamente correto

Caríssimos leitores,
Por certo que o tempo tem sido pouco e, claramente, a dedicação tem sido algo a rasar o insignificante... para não dizer nenhuma... mas as mundifiquilidades da vida assim obrigaram. Chega de lamurias à velhinho e vamos ao tema do dia:
Afinal, o que é ser politicamente correto?
Em conversa com Confúcio, Spétalus teve também esta dúvida, e o grande sábio assim falou:
- Caro Spétalus, e eventualmente Cómlius, vamos imaginar o seguinte cenário - No grande império da China existem minorias... parte dessas minorias não trabalha nem paga impostos...  parte dessas minorias recebe apoio do imperador para poder sobreviver, devido à questão anterior... parte dessas minorias dedica-se a levar emprestado os bens de outrem... parte dessas minorias tem milhões de yens guardados no banco... - Mas isso não faz sentido sábio Confúcio! - Exclama Spétalus. - Então eles não contribuem para o estado que os sustenta e ainda amealham por fora? Isso não é justo para os outros que nada tê…