Avançar para o conteúdo principal

Pactos Nocturnos

Caros leitores, trago-vos mais um assunto daqueles que deixam uma pessoa realmente intrigada: Já alguma vez se interrogaram sobre o verdadeiro porquê do desaparecimento das míticas criaturas sanguinárias conhecidas por vampiros?

Pois bem, ao fim de algum tempo de investigação, consegui reunir informações suficientes para dar uma explicação lógica (mais ou menos) do suposto desaparecimentos dos mesmos.

Ora, antes do mais, temos de pensar nos hábitos alimentares dessas criaturas. Segundo as informações disponíveis, provenientes de honestos e fidedignos bêbados romenos de etnia cigana, estes descendentes do Conde Drácula costumavam saciar a sua sede, atacando as suas vítimas indefesas enquanto estas dormiam, sugando-lhes o sangue (muito fixe) e partindo para o refúgio da sua cripta, onde permaneciam escondidos até à próxima caçada. Creio que toda a gente já tenha tido contacto com estas histórias, para alguns certamente fantasistas, e creio também que já muita gente se interrogou porque é que já não se vêm os maus dos filmes do Blade.

Bem, como é do conhecimento geral, um dos pontos fracos dos vampiros é a luz solar, certo? Ou como se via em alguns filmes, a luz em geral já lhes fazia comichão. Imaginem então quando se começou a ter electricidade! Deve ter sido o caos para estas criaturas fotossensíveis, ao saírem à noite para as suas caçadas e PAM!!! 250 watts de potência nas trombas. Até um não vampiro fica à rasca da vista (eu fico, pelo menos...)!

Ora, com a generalização da utilização das lâmpadas incandescentes, foi-se reduzindo a área de alimentação desta espécie, e como é possível verificar, pouco ou nada se fala dela hoje em dia. Mas não quer dizer que tenham desaparecido de vez...

Já devem ter ouvido falar no Chupa-Cabras mexicano. Uma qualquer criatura que ninguém ainda identificou mas que suga o sangue de cabras da mesma maneira que os vampiros faziam?!
Pode parecer um tanto ou quanto descabido, principalmente porque há quem diga que esse Chupa-Cabras é de origem extra-terrestre, mas é isso que me levou à segunda parte da investigação.

Talvez vizinho dos tetranetos do Conde Drácula, lá para os mesmo lados (digo eu) existiu um certo e determinado génio chamado Frankenstein. E o que fez esse jovem? Conseguiu criar, e dar vida a uma criatura, de forma humana, a partir de pedaços do corpo humano, animando-a com ajuda de electricidade proveniente de relâmpagos (Genial, não? O melhor que fiz foi fingir que o rato de laboratório, que tinha acabado de abrir, ainda estava bem de saúde e curtia bue piercings na orelha...). Bem, acho que já todos sabem o fim da história, com a população toda a querer queimar o desgraçado e morreram todos e pronto! Bah!? Pura mentira. Segundo outras fontes um pouco mais fidedignas do que as que me deram as dicas sobre os vampiros, o Dr. Frankie (como o pessoal amigo o trata) deu de frosques antes de lhe darem cabo do canastro. Não devemos subestimar a capacidade destes génios de inventarem coisas doidas a torto e a direito... De acordo com essas mesmas fontes, o Frankie conseguiu fugir numa inovadora máquina voadora oval, levando consigo a sua criação. Chamaram a essa máquina: O.V.N.I.

Mesmo antes de acabar esta investigação, uma velhinha, mesmo velhinha (mas tipo com 300 anos e ainda com pinta de quem está cá para as curvas) confidenciou-me algo que fez com que tudo batesse certo. As sua palavras sábias foram "ahhhhh... aaaaaah...!" pouco depois bufou-se violentamente e seguiu caminho (pode parecer ao leitor que isto não tenha qualquer sentido, mas acreditem que o picoso daqueles gases no nariz fez-me ver a ligação).

Algures na fuga do Dr. Frankenstein e da sua criação, eles cruzaram-se com um grupo de jovens vestidos de preto e com óculos de sol que pediam boleia. Esses jovens não eram nada mais que os vampiros, também perseguídos e corridos das suas próprias casas. E assim começou um pacto de amizade que tem durado até hoje. O Frankie conduz a máquina, fazendo esporádicas aparições na Terra, para vir buscar partes de animais para montar em novas criaturas, e trás os seus colegas de preto para virem saciar a sua sede nas cabras mexicanas.

É por isso que já não os vemos tantas vezes... mas não quer dizer que tenham desaparecido!

Curioso como, no fundo, certas coisas fazem sentido...

...ou não!

Comentários

Anónimo disse…
Bem...realmente nunca tinha pensado nisto e também nunca pensei que pudesse existir alguém que pensasse, pelo menos desta forma...É preciso andar a ler muitos livros!!!De qualquer maneira é precisa creatividade e muita imaginação,e isso tu tens de sobra. Continua a escrever, que mais não seja fazes rir... Beijos
Anónimo disse…
pensamos sempre que ninguém vai pensar nesse tipo de coisas, muito menos imaginar o porque e tentar criar uma explicação.. depois apareces tu com estas teorias que não lembram a ninguém, que nos deixam sempre parvos, espantados e simultaneamente contentes, porque afinal existem mais pessoas com pensamentos estupidamente incríveis..Só rir. continua

Mensagens populares deste blogue

Ide e Multiplicai-vos!

Boas tardes caros leitores, leitoras, vislumbradores e afins deste blog. Como podem reparar, convidei o Richard para apresentar alguns dos seus disparates neste blog. Depois de uma colocação inapropriada do texto "Strange Life of John" no TheLittleBox, decidi propor-lhe um lugar para poder disparatar livremente, mas com censura. Hehe. Espero que ele esteja à altura de merecer a presença neste meu pequeno espaço. Não hesitem de comentar as nossas postagens. Creio que ambos temos muito para aprender. Com os melhores cumprimentos, Shuri Kata

WTF? - Definição de politicamente correto

Caríssimos leitores, Por certo que o tempo tem sido pouco e, claramente, a dedicação tem sido algo a rasar o insignificante... para não dizer nenhuma... mas as mundifiquilidades da vida assim obrigaram. Chega de lamurias à velhinho e vamos ao tema do dia: Afinal, o que é ser politicamente correto? Em conversa com Confúcio, Spétalus teve também esta dúvida, e o grande sábio assim falou: - Caro Spétalus, e eventualmente Cómlius, vamos imaginar o seguinte cenário - No grande império da China existem minorias... parte dessas minorias não trabalha nem paga impostos...  parte dessas minorias recebe apoio do imperador para poder sobreviver, devido à questão anterior... parte dessas minorias dedica-se a levar emprestado os bens de outrem... parte dessas minorias tem milhões de yens guardados no banco... - Mas isso não faz sentido sábio Confúcio! - Exclama Spétalus. - Então eles não contribuem para o estado que os sustenta e ainda amealham por fora? Isso não é justo para os

Melgas

As melgas são um bicho parvo, malazado a voar, aproveitador e claramente sobredotados para o que não devem... Deviam, portanto, claramente falecer! Lamento a quebra de opções alimentares dos achigãs, mas vocês não têm de se encher de repelentes!